31 de dezembro de 2014

Paris Está em Chamas?, (1966)



TRILHA ORIGINAL
video
Is Paris Burning? - Maurice Jarre

Maurice Jarre (1924-2009), nascido em Lyon, Maurice-Alexis Jarre iniciou seu aprendizado musical no conservatório de Paris, onde estudou percussão, composição e harmonia. Celebrizou-se, principalmente, por compor trilhas musicais das quais se destacam a parcerias com o diretor David Lean, que lhe renderam três prêmios Oscar: “Lawrence da Arábia” (1962), “Dr. Jivago” (1965) e “Passagem para a India” (1984). Jarre compôs para o teatro, concertos, óperas, balés e gravou seis CDs. Trabalhou também com John Frankeheimer (“O Trem”, 1965), René Clément (“Paris Está em Chamas?”, 1966), Richard Brooks (“Os Profissionais”, 1966), Anatole Litvak (“A Noite dos Generais”, 1967), Luchino Visconti (“Os Deuses Malditos”, 1969), John Huston (“O Homem que Queria Ser Rei”, 1975), Moustapha Akkad (“O Leão do Deserto”, 1981), Peter Weir (“Sociedade dos Poetas Mortos”, 1989).


Paris Está em Chamas? (Is Paris Burning?), 1966

Por quatro anos e meio, durante a 2ª Guerra Mundial, Paris esteve ocupada. Quando a guerra já estava perdida para a Alemanha e o avanço dos aliados para recuperar a capital francesa era inevitável, partiu um ordem do próprio Hitler (Billy Frick) para incendiar Paris totalmente, incluindo seus monumentos e museus. Entretanto o próprio comandante alemão em Paris reluta em dar esta ordem, e, os dias e momentos que se seguem são de pura tensão e cenas grandiosas de batalha, fotografia e interpretações.


Paris está em chamas? É um filme ao estilo de "O Mais Longo dos Dias". Com 165 minutos, em preto e branco, um quase documentário, é interpretado por mais de 30 atores e atrizes franceses e americanos em papéis grandes ou pequenos, mas de rápida abordagem, por conta da grande quantidade de informações que precisam ser passadas em menos de três horas de filme.

No elenco, Jean Paul Belmondo, Charles Boyer, Kirk Douglas, Leslie Caron, Alain Delon, Glenn Ford, Anthony Perkins, Orson Welles, Yves Montand, Simone Signoret, Romy Schneider, Michel Piccoli, Jean-Louis Trintignant, entre outros.

Com um orçamento de seis milhões de dólares na época, ou 80 milhões de euros, hoje, o filme também ficou marcado pela canção de Maurice Jarre, interpretada por Mireille Mathieu, "Paris en colère".




Esta obra-prima, tirada do best-seller de Lapierre e Collins aborda o período final dos quatro anos e meio, na Segunda Guerra Mundial, em que Paris esteve ocupada. Quando a batalha já estava perdida para a Alemanha e o avanço dos Aliados para recuperar a capital francesa era inevitável, partiu um ordem do próprio Hitler (Billy Frick) para incendiar Paris totalmente, incluindo seus monumentos e museus.





No entanto, o próprio comandante alemão em Paris relutou em transmitir esta ordem. O General von Choltitz era admirador das artes e preferiu negociar com a Resistência Francesa, poupando a cidade da destruição. Em poucos dias, estourou a insurreição popular, que culminou com a Batalha de Paris e a retomada triunfal da capital em 25 de agosto de 1944.


Quase meio século depois de registradas as primeiras cenas, em 15 de agosto de 1965, "Paris brûle-t-il", Paris está em chamas? - um filme cult sobre a liberação da cidade, durante a Segunda Guerra Mundial, sai, enfim, em DVD na França.

"Cada vez que eu o revejo, ouvindo Anthony Perkins ou Alain Delon pronunciar minhas frases, uma lágrima sempre sai dos meus olhos", confiou na noite de terça-feira Dominique Lapierre, durante a primeira projeção do DVD, no Museu do Exército, em Paris. 
"É uma das maiores lembranças de minha vida, não apenas profissional. Eu mesmo, ainda criança, assisti à liberação de Paris." 
"Com Larry Collins, queríamos escrever uma grande história franco-americana, ao tomarmos conhecimento de que Paris teria sido completamente destruída, em agosto de 1944. Durante três anos, pesquisamos febrilmente mais de 3.000 arquivos franceses, americanos e britânicos para descrever o dia da liberação de Paris". 

Lançado em 1964, o livro vendeu 20 milhões de exemplares, em 40 línguas. 
Lapierre recebeu logo um telefonema do produtor alemão Paul Graetz, desejoso de levar o romance às telas: "ele queria oferecer à França um testemunho de amor". 
Claude Brulé, jovem roteirista na época, trabalhou com os pesos pesados Jean Aurenche e Pierre Bost. 
Do lado americano, receberam o reforço de Gore Vidal e Francis Ford Coppola. 




CARTAZES DO FILME 





Trilha (Versão 2)Mireille Mathieu 
video
Is Paris Burning? - Mireille Mathieu (Maurice Jarre)





Paris Está em Chamas? (Is Paris Burning?), 1966



ELENCO E FICHA TÉCNICA 
GRANDE ELENCO
Jean-Paul Belmondo - Yvon Morandat
Charles Boyer - Dr. Monod
Leslie Caron - Françoise Labé
Jean-Pierre Cassel - Tenente Henri Karcher
George Chakiris -   Soldado em um Tanque
Claude Dauphin - Lébel
Alain Delon - General Jacques Chaban-Delmas
Kirk Douglas - Gen. George Patton
Glenn Ford - Gen. Omar Bradley
Gert Fröbe - Gen. Dietrich von Choltitz
Daniel Gélin - Yves Bayet
Toni Taffin - Bernard Labe
E. G. Marshall - Oficial de Inteligência Powell
Yves Montand - Sgt. Marcel Bizien
Anthony Perkins - Sgt. Warren
Claude Rich - Gen. Jacques Léclerc
Simone Signoret - Proprietária do Café
Robert Stack - Gen. Edwin Sibert
Jean-Louis Trintignant - Capt. Serge
Pierre Vaneck - Major Roger Gallois
Marie Versini - Claire
Orson Welles - Cônsul Raoul Nordling
Bruno Cremer - Coronel Rol
Billy Frick - Hitler
Michel Piccoli - Pisani
Georges Poujouly Landrieux
Gehrard Borman - Secretário do Gen. von Choltitz
Clara Gansard - Esposa do Coronel Rol
Jean-Pierre Honoré - Alain Perpezat
Peter Jacob - General Burgdorf
Serge Rousseau - Coronel Fabien
Direção: René Clément
Roteiro: Francis Ford Coppola, Gore Vidal
Pais: França, Estados Unidos
Gênero: Drama, 2ª Guerra Mundial
Direção: René Clément
Roteiro: Francis Ford Coppola, Gore Vidal
Produção: Paul Graetz
Design Produção: Willy Holt
Música Original: Maurice Jarre
Fotografia: Marcel Grignon
Edição: Robert Lawrence
Direção de Arte: Marc Frédérix, Pierre Guffroy
Figurino: Pierre Nourry, Jean Zay

SINOPSE
Adaptação do livro escrito por Larry Collins e Dominique LaPierre, que descreve a luta dos franceses muitos pertencentes a facções de resistência para recuperar o controle da Paris ocupada pelos nazistas. O fim da Segunda Guerra se aproxima, mas a cidade está sob controle do general alemão Dietrich von Cholitz (Fröbe), pronto para atender pessoalmente às ordens de Hitler para incendiar a cidade caso os aliados se aproximem. Um belíssimo épico de guerra, com um elenco espetacular.


CURIOSIDADES
- Um dos motivos pelos quais se optou por rodar o filme em preto e branco foi a cor das bandeiras nazistas, já que as autoridades francesas não permitiram que bandeiras nazistas com as cores vermelha e preta fossem exibidas em Paris.

- Alguns dos atores franceses do elenco, entre eles Charles Boyer, Leslie Caron e Jean-Pierre Cassel, dublaram seus próprios personagens na versão em inglês do filme.

- Durante as filmagens um carteiro francês caiu de sua bicicleta ao ver um grupo de extras vestidos como soldados nazistas em pleno Champs Elysées, durante uma pausa para o almoço. O carteiro começou a correr e a gritar que "eles estavam de volta".

- Os créditos finais são exibidos a cores.




PRÊMIOS E INDICAÇÕES
Oscar, EUA
Melhor Fotografia  (Marcel Grignon)
Melhor Direção de Arte (Willy Holt, Marc Frédérix, Pierre Guffroy)

Prêmios Globo de Ouro, EUA
Prêmio de Melhor Trilha Sonora Original (Maurice Jarre )




Nenhum comentário:

Postar um comentário